pesquise na USINA
Generic filters

poesia

Os sons, os sonhos e os seres de Ada
Retornaram primeiro os animais maiores: mamutes e elefantes, ao lado das antigas aves, pterodátilos e rinocerontes. Ali, os rinocerontes também tinham asas e penas, como os pterodátilos e os mamutes. Todos eram amigos, e viviam em paz e harmonia. O sonho era de Ada, porque alguém precisa ser sonhado – sonhada, no caso. O mundo, […]
Fronteiras serão sempre lembradas
Fronteiras serão sempre lembradas entre cruzes do espírito sempre outro de tua natureza serão riscadas no emaranhado do por vir, que comunica.   *** Este poema faz parte da série Atmosferas
Povos Tradicionais do Norte de Minas (Parte 2)
Os Povos Tradicionais são internacionalmente reconhecidos como guardiões da biodiversidade do planeta. No Brasil, estes povos estão gravemente ameaçados pelos ataques impiedosos e violentos do neoliberalismo e das elites entreguistas e colonizadas. No norte de Minas Gerais não é diferente e a resistência segue firme e forte, produzindo alimentos e cultura, nos garantindo futuro e […]
ritual de vida para a morte
Crucial o momento em que fazer sentido já não faz sentido aquele instante em que de madrugada, o vento nas árvores – e o que mais? só isso (penso que devo ter morrido). hum? Que me diz desse momento – em que se intui que melhor seria fundir-se às coisas simplesmente ser um ser sem […]
O anel de vovó
Saiu no jornal: três corpos morreram no Rhône ontem, e talvez um pouco hoje, não sabemos com certeza, porque falta aparecer um. Este que sumiu talvez esteja ainda vivo, mas só um pouquinho. Meditando entre as algas, ele guarda um restículo de ar nos pulmões, como quem esconde, em segredo, o último anel de vovó […]
Celestografia
A natureza, misteriosa, nos persegue. Como é possível a natureza nascer como ela nasce? Como é possível a natureza se formar como ela se forma? E o homem se pergunta, como posso eu criar algo como a natureza, como se fosse natureza ou da natureza? Sendo da natureza, como animal, e além da natureza, como […]
Povos Tradicionais do Norte de Minas (Parte 1)
Os Povos Tradicionais são internacionalmente reconhecidos como guardiões da biodiversidade do planeta. No Brasil, estes povos estão gravemente ameaçados pelos ataques impiedosos e violentos do neoliberalismo e das elites entreguistas e colonizadas. No norte de Minas Gerais não é diferente e a resistência segue firme e forte, produzindo alimentos e cultura, nos garantindo futuro e […]
do controle sob o acaso
seria bom saber de ti um pouco mais que a discórdia. arrastar flores ou enlear cítaras falsas com imagens de praias e céus. desenhar Pernambuco na tua imag – inação enredada de ritmos condutos guinados pela irreverência do acaso – ah, o acaso. tentar lhe medir partículas, calcular movimentos atômicos e ver tudo resultar no […]
Xarpi na Central do Brasil
No início da década de 1990, uma notícia (até então impensável) circulou nas capas de quase todos os jornais do Rio de Janeiro: a torre do relógio da Central do Brasil havia amanhecido pixada, ninguém sabia como. O autor? Atendido apenas pela alcunha de Vinga. Depois que apagaram o nome pixado na torre do relógio, […]
Conversa
elisa tomou o choque
paulo se enforcou no prego
eu permaneci na minha nem tudo se resolve
não quero te dar a dica
é claro que me comove
estilhaçar­-se todos os dias
quem tem ensinado é a rainha
eram dois olhos imensos engolindo o céu das copas, a dança dos ventos, o direcionamento azul, tal qual mar a lua crescente ao revés n’outro continente dia ainda ou tua luz mais bonita, quando brincam Sol e Vênus deitada sobre a linha do horizonte apenas com a força da mente ver o norte com clareza […]
Canção para não morrer
Aqui, aos pés da cruz, já não choro como antes chorava. Os amores perdidos, as promessas desfeitas: os vejo como quem vê uma flor, um oceano, uma parede. Retornei aos meus anos divinos e nada encontrei, fui atrás dos amores sinceros e nada obtive. Agora me sento aqui, no banco de um museu, e observo […]
parques
contém a morte da pessoa antiga sua grandeza, a nova consciência mal perceber a noite que com ela entra senão por essas lentes, tudo tornando outro é seu batismo. Essas imensas figueiras o lago verde, as casas amarelas a ponte em que se passa, acima as copas frondosas mãos junto aos peixes, os poucos anos […]
Foto analógica por Ceci Penido
merci pour les paysages porque no dia seguinte falamos de incesto e era como se falássemos de nós e eu precisei dizer que nem sempre me importava obrigada por me trazer de volta ao cinema desvendar o trauma através das imagens acreditar que existe algo mais nas paredes de ladrilhos do oriente no deserto quente […]
onde seu nome é um grão
falo de uma terra onde seu nome é uma árvore onde suas proles brotam com nomes de plantas de batismos e rezas dos dias de junho quando comemoramos o padroeiro cruzado nas encantarias dos caminhos de Exu da Igreja de Santo Antônio ou de uma pedra grande vista ao longe dos olhos ciganos tupinambás de […]
"Angelus Novus", de Paul Klee
“O Anjo Esquerdo da História” é uma composição de Gilberto Mendes que se baseia em um poema  homônimo de Haroldo de Campos, que o escreveu em homenagem aos mortos do triste massacre de Eldorado dos Carajás, em 1997.  Na ocasião, policiais militares cercaram milhares de sem-teto que realizavam um protesto em uma rodovia do Pará. […]
serra dos órgãos, no quarto ano da Chuva
Sento na escada de pedra e limo, rachada pela metade em todos os degraus. A terra por debaixo briga para levantá-la, expulsá-la do domínio conquistado. Contamos cem ou talvez cento e dez, cento e vinte anos que foi construída, aqui no lado leste da casa, no exílio de todos os sortilégios domésticos. Apoio o queixo […]
A praia do leme e os melhores temas do mundo para conversar
para matheus kerr, matheus ramos-mendes e kissel goldblum   investigar a consciência, sonhar. reminiscência: o universo inteiro já aconteceu. nós chegamos nos lugares que sempre chegamos isso aqui já aconteceu a visão da jornada xamânica e da vida cotidiana não são diferentes. isso não. a imaginação é faculdade da memória, descartes não sabia meditar. o […]
Corpo que se molda
Corpo que se molda. Esses encontros de olhares em que mal se fala as vezes são os que mais valem a pena
Poemas
de perto o cenário lembra um parque de diversões, de longe somos só dois conhecidos empurrando o amor com os ombros. de longe eu penso nas velhas amizades, nas feridas ainda abertas nas perguntas e respostas que se intercalam. de longe é tudo bem óbvio, mas ainda assim desaba da noite uma chuva que assusta. […]
Por uma Revista de Invenção
O que é uma revista de invenção? No Brasil, o termo “invenção” nos remete invariavelmente para Pound e seu uso nas vanguardas tardias, como descoberta ou elucidação de um novo processo. Mas é possível expandir esse conceito, no presente caso, para uma revista que não trabalhe apenas com a reprodução de originais externos, restringindo-se a […]
Ys – Joanna Newsom
Joanna Newsom é uma compositora e harpista norte-americana. Nascida de uma família abastada e tradicional da Califórnia, começou a estudar harpa ainda criança e logo se engajou nos estudos de música – participando de bandas e atividades artísticas na região da cidade de São Francisco, perto de onde morava. Ys (2006) é o seu segundo […]
3 poemas de Calamites
cinemas aproxima-se o poema estão imóveis na sala sou a que brinca de dedos estes cruzados em riba não sei dos medos, ou seja das pontas aqui quando tocam exigem coisa de mim quando olham já não há nada aqui nada pra mim estou em pé agora, e caindo agarro a mão, o pó, a […]
Arte: Glauber Guimarães
The Orange Poem é uma banda de rock baiana, criada pelo compositor e escritor Emmanuel Mirdad. Em sua primeira fase, gravaram dois álbuns consecutivos, em 2005 e 2006, mas em seguida se separaram. Sete anos depois, Mirdad decidi retomar o projeto e ao invés do formato clássico, escolhe fazer uma série de EPs, cada um […]
Foto de Patrick Bard
Pequena nota introdutória Vi pela primeira vez a palavra “enraizerrante” na entrevista que fizemos aqui na USINA com o grande poeta Edimilson de Almeida Pereira – que indicou esse texto gentilmente traduzido por Cecilia Sá Cavalcante Schuback. Desde então, essa palavra ressoa vez ou outra na minha vida – muito pelo grau de concentração das […]
Viola Arsênica
Há na violeta um áspero pendor
de pedra. Mas o mármore da cor não
se arremessa como uma pedra;
é uma dureza de sonho.
Foto: Vitor Faria
Lugar sem comportamento é o coração. Nascido Manoel Wenceslau Leite de Barros em 1916, na cidade de Cuiabá – ou para nós simplesmente Manoel de Barros – a obra deste poeta carrega uma ambiguidade. Se, por um lado, seus poemas portam uma espécie de simplicidade, uma ausência de pretensão típica das crianças, por outro, é […]
Conversando com Arlindo Barbeitos
Uma pequena nota de introdução Foi muito por acaso como cheguei nesse poeta angolano. Entrando numa rua aleatória vi uma moça vendendo livros. Dei uma olhada no que tinha e me deparei com esse título: “Angola Angolê Angolema”, de Arlindo Barbeitos. Não sabia o que era, quem era. Gostei da capa dessa edição Sá de […]
Mezzanine
Erguido
o último suspiro
aos anjos da colheita
que por aqui passam
quando querem catar
acerolas
4 poemas
um silêncio inédito como se o gesto mesmo ditasse o som como se eu descansasse um pouco a boca (a sua mão eu coloco sobre a minha pele e passeio sem palavra) mas o poema se lança à língua primeiro enrosca meus olhos viciados tremem os lábios, eu sorrio – não falo
O anjo esquerdo da história
Priscila Alba acaba de me lembrar desse poema, escrito em homenagem aos mortos do triste massacre de Eldorado dos Carajás, ocorrido há 25 anos atrás. Na ocasião, policiais militares cercaram milhares de sem-teto que realizavam um protesto em uma rodovia do Pará. Com 19 mortos, o momento é lembrado como um dia de luta e […]
4 poemas de amor
qualquer samba triste, a chuva no domingo tuas mãos para as conchas teus olhos que eu toco - as ventanas abertas - o chão tão gélido me alegra. 
sobre voos altos
os pássaros cantam e se agitam feito crianças pela manhã Maritaca Bem-te-vi sabiá cantam suas melodias esperando respostas quando não as tem repetem uma duas três muitas vezes até se distraírem
Manual de Sobrevivência
Estou sempre diante da certeza de que vou ter sede. Mas no fundo não é tão difícil imitar um cacto e repousar espinhosamente na paisagem da varanda  ou da sala. 
Trava-língua
you know what i've learned from you? sabe o que eu aprendi com você? not to say more than you have to. não dizer mais do que seja realmente necessário pra si. i've learned about art. eu aprendi sobre arte. as a state of stuff. como um estado das coisas. como uma presença moldável mas não óbvia. not so deep. as something to digest but also enjoy as a joke.
para pamella
o poema estica as mãos pro alto pra alcançar as frutas no pé como quando eu tinha dez e minha irmã oito
O Mercador das Almas
Moro em um país pobre e, contudo, não sou eu o pobre deste país. Habito a periferia do vasto mundo, mas não estou na periferia da periferia. Estou à deriva por alguma margem perdida, mas não sou eu o marginal do rumo.
Querida, o tempo amansa a gente
aprenderei aos poucos a rezar como você tentou me ensinar tantas vezes a cativar os pássaros a não temer a gente a andar pela rua observando o mato que resta entre nós
3 poemas de Flávia Muniz
Dei a falar com o tempo O que não disse ao luar da noite Dei a falar com as horas Numa língua qualquer Que só entendem os anjos Filosofemas de rogação.
Vida, Capitalismo e Literatura: alguns apontamentos
Como começar? Como começar um mundo, ou antes, como começar em um mundo que parece se aproximar do fim? Por que começar? Estas não são apenas perguntas que fazem o pensamento girar, são perguntas que estão na ponta dos dedos, e quando elas circulam como sangue pelo corpo, quando elas deixam de ser apenas pensamento para serem perguntas-letras, algo da resposta já se insinuou...
segunda – poemas e fotos
às vezes é bom ser gato. - digo isso enquanto faço carinho nas costelas do meu que me mostra gentilmente seu canino esquerdo. coisa que eu só sei fazer com o direito.
Conversa nº5 – Leonardo Marona
encontrei leo num momento difícil do dificílimo ano de 2018. na semana anterior victor heringer tinha feito a passagem e um ou dois dias depois marielle seria assassinada. cheguei na livraria da travessa de botafogo mais pro final da tarde quase noite. conversamos ali dentro, numa espécie de jardim de inverno muito utilizado pelos fumantes, eu acho. leo joga nas onze e já publicou livros de poesia, conto e romance. além disso, é o cantor da Dibuk Motel e trabalha há anos como livreiro