#14 Edição/poesia

2 poemas

I
é o menino
que pra onde foi menino?
da mesma mãe de palavras
e por tantas outras
talvez sim menino
plural dele mesmo
fugiu de sua casa
tinha lá as suas coisas
de brinquedo
de menino

II
constrói ele
rodando o corpo.
lindo de coisa só
fazendo fetiche em mulher grande.
lidando com mar
podendo ser mais que um,
mais que dois,
longe dele mesmo
claro são seus olhos
que dos meus se desfez

III
mas não é que encontrei
pela rua pela calçada
pelas funestas esquinas
pelo seu jeito de andar
comendo de nada
tramando os o quê
fazendo o que isso
junto com menino grande
junto com mulher de perna
fugido do ficar
podendo ser mais que um,
mais que dois,
longe dele mesmo

e se pra sempre se ficou
amando e amado
era menino de dizer
o que nunca restou
só de um olho
o olhar de peneira
de arruadeira
de menino

°

Teônio,
as coisas vão
não ficam

tem desses jeitos
de sempre partirem,
de nunca estarem

é que nem amor

Aurora Campos, janeiro 2015

 

…………………….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s