cinema/instantâneos

Belair – Sganzerla, Bressane e Helena Ignez

Belair foi uma produtora de Rogério Sganzerla e Júlio Bressane de 1970. Nesse ano, os dois realizaram seis filmes em quatro meses e por causa deles tiveram que fugir do Brasil, devido a repressão da Ditadura Militar. Bressane e Saganzerla, autores de O Anjo Nasceu e O Bandido da Luz Vermelha, respectivamente, foram as principais figuras do Cinema Experimental no Brasil. Os filmes da Belair apresentam a liberdade e anarquia em seu ápice, caracteristicas desse cinema naquela época. Os filmes circularam pouco no Brasil e um deles acabou se perdendo, Carnaval na Lama, de Sganzerla, que também realizou Copacabana Mon Amour e Sem Essa, Aranha. Bressane, por sua vez, dirigiu A Familia do Barulho, Cuidado Madame e Barão Olavo, O Horrível. Helena Ignez foi atriz em todos os filmes, e em 2005 lançou o curta-metragem A Miss e o Dinossauro, que mostra os bastidores dessa experiência. Em 1975, Júlio Bressane fez A Viola Chinesa, chamado de o último filme da Belair. Seguem os dois curtas abaixo:

 

 

…………………….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s