literatura / pensamento / poesia

Haroldo de Campos – O sequestro do Barroco

Todo o respeito por vossas opiniões! Mas pequenas ações divergentes valem mais! (Nietzsche)   O PARADOXO BORGIANO E/OU PESSOANO (pp. 10-11) Estamos, pois, diante de um verdadeiro paradoxo borgiano, já que à “questão da origem” se soma a da identidade ou pseudoidentidade de um autor “patronímico”. Um dos maiores poetas brasileiros anteriores à Modernidade, aquele … Continue reading »

pensamento / poesia

Haroldo de Campos – Por uma Poética Sincrônica

Há duas maneiras de abordar o fenômeno literário. O critério histórico, que se poderia chamar diacrônico, e o critério estético-criativo, que se poderia denominar sincrônico, a partir de uma livre manipulação da famosa dicotomia saussuriana, retomada mais recentemente pela crítica estruturalista. A poética diacrônica procura reconhecer, ao longo de um dado período cujas características são … Continue reading »

pensamento

Haroldo de Campos – Visada Sincrônica e Vanguarda

O descobrimento, ou, por assim dizer, a “invenção” de precursores é um dos corolários mais significativos da visada poética sincrônica. John Cage (Silence) cita a resposta do pintor De Kooning aos que lhe perguntavam que artistas do passado o haviam influenciado: “The past does not influence me; I influence it“. E Jorge Luis Borges: “No … Continue reading »

pensamento

Haroldo de Campos – Texto e História

O estatuto do historiador literário brasileiro é, por assim dizer, um estatuto dilacerado e dilacerante. Confrontado com um panorama diacrônico onde são raros os momentos de altitude, este historiador oscila entre a melancolia do profissional que não encontra um objeto satisfatório para o exercício de seu métier e a indulgência do fideicomissário que procura valorizar os … Continue reading »