fotografia/instantâneos

Camille Claudel – Obras e Fotografias

Camille Claudel (1864-1943) foi uma escultura francesa geralmente ligada à figura do escultor Rodin, seu mentor e amante. Tida como figura de segundo plano por muito tempo, a história de Camille foi resgatada nos últimos tempos como forma de fazer justiça à sua obra de maneira independente à de Rodin. Depois de terem vivido um caso de amor público, Rodin abandonou Camille alegando não poder se separar da sua então companheira oficial, o que para a historiadora Monique Laurent, ex-diretora do Museu Rodin, em Paris, isso não passava de uma desculpa. “Ele tinha medo de Camille. Sua inteligência e talento faziam dela uma artista que poderia suplantá-lo.” Camille, aos poucos, entregou-se à angústia e à melancolia. Em 1892, sofreu um aborto e decidiu se afastar de Rodin. É a partir deste momento que a artista começa a desenvolver uma obra mais potente e autoral, influenciada também pela arte japonesa. No entanto, sua obra não alcança o grande público, tanto em razão do preconceito por ser mulher, e também porque a sociedade artística alegava que copiava Rodin. Em 1900, foi recusada a participar da Exposição Universal, o que para a escultura tinha a ver com o afastamento de Rodin. Aos poucos foi se isolando cada vez mais, até ser diagnosticada com psicose, tendo passado os últimos 30 anos de sua vida amarrada num hospício. A história da sua vida está bastante retratada nos temas e na expressividade de suas obras.

O jornalista Milton Ribeiro resume a vida injustiçada da escultora:

De forma esquemática, a biografia de Camille pode ser resumida assim: ela era uma talentosa escultora que, quando tornou-se amante de Rodin, caiu em desgraça junto à sociedade parisiense. Afinal, o escultor era casado, célebre e a ligação foi um escândalo. Após quinze anos de tortuoso relacionamento, Camille rompeu e mergulhou cada vez mais na solidão e na loucura. Por iniciativa de seu irmão mais novo, o escritor Paul Claudel, foi internada em 1913 num manicômio.

11025192_10206513452981435_4704571797871968830_n

10991088_10206513459341594_6586000504028782838_n

Camille em seu ateliê.

10995411_10206513457421546_30327657113912399_n

Camille no ateliê de Auguste Rodin (1885).

11001880_10206513458901583_7661353098928630924_n

Camille posando para Auguste Rodin.

10974671_10206513458221566_1377271177553338185_o

Detalhe de Sakountala ou O Abandono (1888).

11025646_10206513457861557_5713705023668952872_n

Detalhe de Sakountala ou O Abandono (1888).
11009184_10206513458541574_8594109683708503902_n

Detalhe de Sakountala ou O Abandono (1888).

10996584_10206513458421571_729124901698217837_n

A Valsa (1892).

11018882_10206513457101538_1898606736586636344_n

Detalhe de A Valsa (1892).

1505143_10206513456821531_6050963939707934496_n

Aurora (1895-1897).

a onda camille

A onda, 1897-1903.

 

…………………….

2 pensamentos sobre “Camille Claudel – Obras e Fotografias

  1. Gostei muito quando vi há anos o filme “Camille Claudel”. O Rodin era um homem cruel, não só com ela. O poeta Rainier Rilke que era secretário dele sofreu muito com a tirania de Rodin. O maior escultor, claro. Mas cruel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s