poesia

O Mercador das Almas

O Mercador das Almas

poema de Matheus Ramos Mendes

Moro em um país pobre e, contudo,
não sou eu o pobre deste país.
Habito a periferia do vasto mundo,
mas não estou na periferia da periferia.
Estou à deriva por alguma margem perdida,
mas não sou eu o marginal do rumo.

Há multidões mais flageladas desta terra.
Filhos incautos da desesperança.
Inocentes culpados de sua inocência Continue reading »