#9 Edição/poesia

círculos no silêncio

círculos no silêncio
ando em voltas e
observo no galo aquilo
que foi dito em
poema
me desloco na quietude
do espaço
e ando em margens
de águas secas

o mangue pede socorro
(de forma que não perca
sua dureza)
e eu procuro o sol
entre as nuvens
(rachaduras)

por isso vim buscar
o movimento do rio

me transformo em canoa
e me perco em seu
fluxo contínuo
(deslizo)

estou entre as cidades
procurando algo que
está ao meu redor
encostando em mim e
me envolvendo
(mas não consigo alcançar)

(Bahia, 2013)

Luís Octávio G., agosto 2014

 

…………………….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s