pesquise na USINA
Generic filters

instrumental

O Homem Correndo na Savana

Guilherme Vaz, mineiro de Araguari, foi um artista, pensador e músico experimental brasileiro. Precursor da arte conceitual e sonora no país, foi também responsável pela introdução da música concreta no cinema nacional. Formado pelo projeto original da Universidade de Brasília, do qual sempre foi entusiasta. Também se envolveu com o Grupo de Compositores da Bahia, em Salvador e participou da Unidade Experimental do MAM, no Rio de Janeiro.

Leia aqui »

Mulambo Jazzagrário

“Mulambo”, lançado em 2014, é o primeiro álbum do projeto que tem como segundo nome “Jazzagrário”. Do multi-instrumentista Fernando Grilo, o disco apresenta um repertório autoral, com experimentações que se movem por diferentes territórios.

Leia aqui »

Collin Walcott, Don Cherry & Naná Vasconcelos

Codona foi um grupo formado pelos multi-intrumentalistas Collin Walcott, Don Cherry e Naná Vasconcelos. O nome do trio deriva das duas letras iniciais de cada componente. O grupo lançou três álbuns homônimos, entre 1978 e 1983.

Leia aqui »

Carinhoso

O violonista Lula Galvão já se apresentou com Edu Lobo, Caetano Veloso, Guinga e Rosa Passos. Sua interpretação de Carinhoso conta com a riqueza harmônica, suavidade, rigor e inteligência ímpar do instrumentista.

Leia aqui »

“Assanhado” de Jacob do Bandolim

Criado em 1979 pelos músicos Celsinho Silva (percursão), Mário Séve (sax e flauta), Papito (baixo), Rodrigo Lessa (bandolim e bandarra) e Rogério Souza (violão), Nó em Pingo D’água é uma conjunto musical instrumental brasileiro de choro e samba. No ano de 1990 o grupo prestou reverência a Jacob do Bandolim gravando um CD só com composições do mestre.

Leia aqui »

Curumin

A faixa “Curumim” é destaque do álbum “Samambaia”, de 1981, que marcou a parceria de dois dos maiores nomes da música instrumental brasileira. O projeto reuniu o notável pianista, arranjador e compositor César Camargo Mariano e o violonista de renome internacional, Hélio Delmiro.

Leia aqui »

Equinox

Não bastava o sax de John Coltrane, José James resolveu repetir tudo com palavras. A partir de um estilo já utilizado no Jazz, James desenvolve uma nova versão do clássico de Coltrane, realizando um minucioso trabalho de letra e voz, que substitui os sons do saxofone, acompanhando todas suas variações.

Leia aqui »

Paêbirú

No melhor estilo antropofágico, Paêbirú mistura guitarras elétricas, sons da fauna e flora brasileira, tambores e harpas, um canto para iemanjá, jazz, mitologia indígena e, acima de tudo, seres extraterrestres.

Leia aqui »