artes visuais / instantâneos

Maria Martins

Escultora fundamental no movimento surrealista, Maria Martins nasceu no Brasil mas passou a maior parte de sua carreira entre os EUA e a França, cumprindo o duplo papel de artista e embaixatriz. A escultora, que assinava apenas Maria, incorporou em suas obras a mitologia amazônica e a estética das religiões afro-brasileiras. A transformação de diferentes formas na metamorfose de figuras híbridas aparece frequentemente em suas esculturas. Maria também ficou conhecida devido à experimentação com materiais diversos, passando por madeiras tropicais como o jacarandá, até o bronze que a partir de seu uso inovador ajudou a legitimar como suporte na arte moderna.

Em Nova York frequentou os círculos de Peggy Guggenheim onde se aproximou de André Breton, Max Ernst, Piet Mondrian e principalmente Marcel Duchamp, com quem estabeleceu uma relação de profunda intimidade. Em vez das figuras femininas presas e sufocadas de algumas de suas esculturas, Maria encontra ao lado de Duchamp a liberdade pra criação artística; e Duchamp por sua vez encontra em Maria a materialização da famosa noiva inalcancável buscada ao longo de toda sua vida. Após a mudança para Paris, Maria se consolida como artista proeminente nos movimentos de vanguarda. Mas ao voltar para o Brasil nos anos 1950, apesar de ajudar na fundação do MAM-RJ e das primeiras Bienais Internacionais de São Paulo, Maria acaba não sendo devidamente reconhecida pela crítica hegemônica da época e cai por décadas no esquecimento.


 

The Road; The Shadow; Too Long, Too Narrow, 1946, bronze, 143.4x179.7x 59.4 cm

The Road; The Shadow; Too Long, Too Narrow, 1946, bronze, 143.4×179.7x 59.4 cm

 

Cobra Grande, 1943

Cobra grande, 1943, bronze, 42x52x30 cm

 

L’Huitième voile [O oitavo véu], 1949, bronze polido, 103,5x132x94 cm

L’Huitième voile [O oitavo véu], 1949, bronze polido, 103,5x132x94 cm

 

Saudade, 1945, bronze, 56,5x31x41cm

Saudade, 1945, bronze, 56,5x31x41cm

 

However [Todavia], 1948, bronze, 130x24x32,5cm

However [Todavia], 1948, bronze, 130x24x32,5cm

However [Todavia]

However [Todavia], 1948, bronze, 130x24x32,5cm

Tamba-tajá, 1945, bronze, 58,5x39x40,5 cm

Tamba-tajá, 1945, bronze, 58,5x39x 40,5 cm

 

L'impossible [O Impossível] ,1940, Bronze, 70x66x35 cm

L’impossible [O Impossível], 1940, bronze, 70x66x35 cm

L'impossible [O impossível], 1944, bronze, 80x82,5x53,3 cm

L’impossible [O impossível], 1944, bronze, 80×82,5×53,3 cm

Prometheus I, 1949, Bronze 57,5x51,5 x36 cm

Prometheus I, 1949, bronze
57,5×51,5 x36 cm

 

Prometheus II, 1948, Bronze 105x75x96 cm

Prometheus II, 1948, bronze, 105x75x96 cm

 

…………………….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *