artes visuais/instantâneos

Maria Martins

Escultora fundamental no movimento surrealista, Maria Martins nasceu no Brasil mas passou a maior parte de sua carreira entre os EUA e a França, cumprindo o duplo papel de artista e embaixatriz. A escultora, que assinava apenas Maria, incorporou em suas obras a mitologia amazônica e a estética das religiões afro-brasileiras. A transformação de diferentes formas na metamorfose de figuras híbridas aparece frequentemente em suas esculturas. Maria também ficou conhecida devido à experimentação com materiais diversos, passando por madeiras tropicais como o jacarandá, até o bronze que a partir de seu uso inovador ajudou a legitimar como suporte na arte moderna.

Em Nova York frequentou os círculos de Peggy Guggenheim onde se aproximou de André Breton, Max Ernst, Piet Mondrian e principalmente Marcel Duchamp, com quem estabeleceu uma relação de profunda intimidade. Em vez das figuras femininas presas e sufocadas de algumas de suas esculturas, Maria encontra ao lado de Duchamp a liberdade pra criação artística; e Duchamp por sua vez encontra em Maria a materialização da famosa noiva inalcancável buscada ao longo de toda sua vida. Após a mudança para Paris, Maria se consolida como artista proeminente nos movimentos de vanguarda. Mas ao voltar para o Brasil nos anos 1950, apesar de ajudar na fundação do MAM-RJ e das primeiras Bienais Internacionais de São Paulo, Maria acaba não sendo devidamente reconhecida pela crítica hegemônica da época e cai por décadas no esquecimento.


 

The Road; The Shadow; Too Long, Too Narrow, 1946, bronze, 143.4x179.7x 59.4 cm

The Road; The Shadow; Too Long, Too Narrow, 1946, bronze, 143.4×179.7x 59.4 cm

 

Cobra Grande, 1943

Cobra grande, 1943, bronze, 42x52x30 cm

 

L’Huitième voile [O oitavo véu], 1949, bronze polido, 103,5x132x94 cm

L’Huitième voile [O oitavo véu], 1949, bronze polido, 103,5x132x94 cm

 

Saudade, 1945, bronze, 56,5x31x41cm

Saudade, 1945, bronze, 56,5x31x41cm

 

However [Todavia], 1948, bronze, 130x24x32,5cm

However [Todavia], 1948, bronze, 130x24x32,5cm

However [Todavia]

However [Todavia], 1948, bronze, 130x24x32,5cm

Tamba-tajá, 1945, bronze, 58,5x39x40,5 cm

Tamba-tajá, 1945, bronze, 58,5x39x 40,5 cm

 

L'impossible [O Impossível] ,1940, Bronze, 70x66x35 cm

L’impossible [O Impossível], 1940, bronze, 70x66x35 cm

L'impossible [O impossível], 1944, bronze, 80x82,5x53,3 cm

L’impossible [O impossível], 1944, bronze, 80×82,5×53,3 cm

Prometheus I, 1949, Bronze 57,5x51,5 x36 cm

Prometheus I, 1949, bronze
57,5×51,5 x36 cm

 

Prometheus II, 1948, Bronze 105x75x96 cm

Prometheus II, 1948, bronze, 105x75x96 cm

 

…………………….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s