Publicações Recentes
Collin Walcott, Don Cherry & Naná Vasconcelos – Codona
instantâneos

Collin Walcott, Don Cherry & Naná Vasconcelos – Codona

Codona foi um grupo formado pelos multi-intrumentalistas Collin Walcott, Don Cherry e Naná Vasconcelos. O nome do trio deriva das duas letras iniciais de cada componente. O grupo lançou três álbuns homônimos, entre 1978 e 1983. A experiência pessoal de cada integrante, com anos de estudo antes desta reunião, fez com que eles conseguissem criar … Continuar lendo

Leon Hirszman – Cantos de Trabalho
instantâneos

Leon Hirszman – Cantos de Trabalho

Cantos de Trabalho é uma trilogia de Leon Hirszman, formada por Mutirão, Cacau e Cana-de-açúcar, três documentários de curta-metragem que registram as cantorias dos trabalhadores na zona rural do Nordeste. Entre 1974 e 1976, tendo em vista o desaparecimento dessa tradição, Hirszman fez esses registros buscando preservar essa expressão do trabalho coletivo. A voz de Ferreira Gullar em … Continuar lendo

Aleksandr Sokurov – Sonata para Hitler
instantâneos

Aleksandr Sokurov – Sonata para Hitler

Talvez por conta do seu inicio de carreira ter sido tão conturbado pela censura, Sokurov é discreto ao atribuir significados aos seus trabalhos. As “impressões” sensíveis são a parte mais importante na obra de cineasta russo, nascido em 1951, autor de grandes obras do cinema contemporâneo, como Arca Russa (2006), Fausto (2011) e Moloch (1996). … Continuar lendo

Maria Luisa Bombal – Excertos
instantâneos

Maria Luisa Bombal – Excertos

Autora chilena nascida em 1910, Maria Luisa Bombal é uma das poucas autoras latino-americana a conseguir prestigio fora do círculo da sua língua nativa. Grande amiga de Jorge Lus Borges, seus romances, sempre curtos, evocam uma atmosfera onírica e fantástica. Suas narrativas tratam da feminilidade, da submissão ao homem, o casamento deprimente – situação que … Continuar lendo

Rogerio Sganzerla – Brasil
instantâneos

Rogerio Sganzerla – Brasil

Curta-metragem de 1981, escrito, dirigido e produzido pelo cineasta Rogeério Sganzerla, em razão à comemoração do décimo disco no cinquentenário do nascimento de João Gilberto. A trilha, que vem do álbum com o mesmo título do filme e tem coparticipação de Caetano Veloso, Maria Bethania e Gilberto Gil, serve como apoio à composição de imagens. … Continuar lendo

Os índios sob o olhar de José Medeiros
instantâneos

Os índios sob o olhar de José Medeiros

Piauiense, nascido em 1921, José Medeiros é um dos precursores do fotojornalismo moderno no Brasil, tendo colaborado com diversas revistas, entre elas, O Cruzeiro. Em 1949 participou da expedição Roncador-Xingu para a revista TIME, registrando o primeiro contato de Xavantes com não índios. Em seguida, foi responsável por diversos registros de várias populações indígenas por … Continuar lendo

Pier Paolo Pasolini – A Sequência da Flor de Papel
instantâneos

Pier Paolo Pasolini – A Sequência da Flor de Papel

A Sequência da Flor de Papel é um curta-metragem de Pier Paolo Pasolini, que integra o longa “Amor e Raiva”. Além deste, o filme, que trabalha com parábolas do Evangelho, reúne também episódios de Bernardo Bertolucci, Jean Luc-Godard, Marco Bellocchio e Carlo Lizzani. Em seu curta, Pasolini retoma o tema da “culpa da inocência”, presente em … Continuar lendo

Para além de Hollywood: Entrevista com Lúcia Nagib
cinema/entrevista/inverso

Para além de Hollywood: Entrevista com Lúcia Nagib

“Acredito que Herzog se interessou pelo cinema brasileiro exatamente por esse elemento irracional que Glauber, principalmente, cultivou em seus filmes, fazendo-o um componente inerente ao pensamento político. Nisto, ele era herdeiro de Eisenstein que, como os formalistas russos, dava grande importância à realidade interna do objeto mais que da sua aparência.” Continuar lendo

Os 10 mandamentos de Werner Herzog
cinema/inverso/tradução

Os 10 mandamentos de Werner Herzog

“Não há técnicas quando se trata da intuição. Não nasci com intuição; eu a fui adquirindo. Eu a fui adquirindo ao experimentar pura vida, a vida em seu estado mais cru. Ao caminhar a pé. Ao cruzar o Saara. Ao estar preso na África uma vez ou duas. Tem a ver com certas coisas fundamentais, elementares, que é preciso experimentar na vida. Ninguém as pode ensinar. E é claro, tem a ver com a poesia. Tem a ver com certo sentido da poesia. É preciso tê-la dentro, de alguma maneira, mas ler ajuda.” Continuar lendo

Holy Bible – A Divina Violência
artes/inverso

Holy Bible – A Divina Violência

“Segundo os artistas, essa experimentação com o texto sagrado e as 800 imagens comentam, sobretudo, sobre a ambição universal contida na fotografia, um desejo desmedido análogo ao do livro sagrado: ‘Ela quer descrever tudo sobre o mundo, sobre nascer e morrer. Há algo sobre a totalidade do projeto da fotografia que quer encapsular tudo sobre a vida humana'” Continuar lendo