poesia

do que se escuta na praia – por gabriel gorini

  1. uma palavra diz o que diz, e não o que eu quero que ela diga;
  2. cabe ao/à poeta acolher seu sentido desde seu interior, desde a sua dinâmica;
  3. aquele/a que diz possuir o signo, dominar o sentido, ainda não encontrou nem a entrada do labirinto. ainda não diz;
  4. o riso é uma espécie de silêncio;
  5. cabe ao/à poeta a vida;
  6. poeta é tudo aquilo que, a seu modo, nomeia;
  7. a onda se lança fora e volta ao mar, assim como a palavra fala e silencia;
  8. o pensamento não começa na minha cabeça e não termina na minha testa;
  9. uma palavra diz o que não diz, mas também o que eu quero que ela diga;
  10. a poesia é uma espécie de saudade.

gabriel gorini, abril 2018

ilustração: All are but stories, wich awoke from Sleep, Edmund Dulac

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *