Entre Gota e Gole
corpo

Entre Gota e Gole

Entre Gota e Gole

texto e video de Beatriz Alves e Lívia Abreu
 
Quando temos sede e vemos uma gota, pode dar vontade de tomá-la. Mas até a ação de engolir acontecer, diversos movimentos surgem. A espera, o quase, a pausa, o passo, a abertura da mandíbula, o peso da gota caindo no ar.

Para termos o começo e o fim, muitos fins aconteceram no meio, e este processo de criação surgiu a partir da investigação do que está “entre”. No “entre” encontramos o que não chegou, o que não tem forma e o que não tem nome. Continue reading »

Queda Livre
corpo

Queda Livre

Queda Livre

texto de Isadora Lobo
 
Conforme em queda livre é que percebo, não sem pingos de alívio salgados a desaguar na boca: aqui não há perigo. Conforme suavizo os joelhos e respiro é que vejo: do chão não passa. É preciso dar vazão à raiva, para que ela não nos consuma num caminho sem volta. Não há risco em cair, há prazer. Um tesão a envolver o mundo em queda livre. Solto os meus nós e respiro: habito o além-pânico. E frente a frente com os abutres, sinto seu hálito, sua fome de dilacerar o que é desaprovado por suas mentes julgadoras, mas não me movo. Ocupo meu espaço no mundo. Aquele que tenho por direito, esse não vão me tirar. Continue reading »

Rituais de começo com as escritas corporais
corpo

Rituais de começo com as escritas corporais

Rituais de começo com as escritas corporais

texto de Aline Bernardi
 
O começo, ou aquilo que ritualizei como começo, do processo de criação que vou partilhar com vocês é feito de fios decopulantes, tecido com mãos artesãs, olhos alfaiates e pés andarilhantes. Considerando que as coisas estão em processo de continuidade e a vida parece ser um fluxo em ação vital, começar algo é se propor a vivenciar um rito de passagem. Nesse convite que me faço de falar dos rituais de começo, toco num sonho que tive em 2013. Até hoje revivo com bastante lucidez as sensações que meu corpo vibrou. Um pássaro brotando do seio de um chão de terra enquanto raízes nasciam no largo azul do céu. Essa é a imagem-semente do Livro Performance Decopulagem. Continue reading »