artes visuais / cinema / instantâneos

Akira Kurosawa – Storyboards

Fruto de uma riqueza criativa inestimável, os storyboards do famoso cineasta japonês refletem com a mesma intensidade a beleza sensível das cenas de seus filmes.

Kurosawa, a princípio, tentou entrar no mundo da arte de maneira plástica. Tendo dificuldades, resolveu desenvolver seu talento artístico da maneira pela qual ficou conhecido. No entanto, sempre se utilizou da pintura para passar esteticamente aos seus colaboradores o que pretendia com determinadas cenas.

Os storyboards de Kurosawa já vieram ao Brasil em 2010, quando foram expostos no Instituto Tomie Othake em São Paulo.

Kurosawa - Storyboard

048_R436

047_R491

Kurosawa - Storyboard 11

Kurosawa - Storyboard 10

Kurosawa - Storyboard 9

Kurosawa - Storyboard 8

Kurosawa - Storyboard 7

Kurosawa - Storyboard 6

Kurosawa - Storyboard 5

57-R100

Kurosawa - Storyboard 3

Kurosawa - Storyboard 2

 

…………………….

2 thoughts on “Akira Kurosawa – Storyboards

  1. Pingback: PORANDUBA 3 – Urbânia | Colecionador de Sacis

  2. Vi Ran em 1985, em sua Premiere Mundial, com um enorme telão estendido do lado de fora do Beaubourg, em Paris, com a presença de Kurosawa San e sua mulher, a figurinista de seus filmes.Estavam ali expostos, no Centro Georges Pompidou, os storyboards gigantes em forma de quadros e todo o figurino . Para mim foi uma experiência que ultrapassou todos os limites. Akira Kurosawa, em sua fala, disse que queria ser pintor, na juventude. Cursou a Escola de Belas Artes e largou a pintura, por se considerar um artista medíocre. Foi fazer Cinema e, precisando transmitir os takes do filme para seus artistas, técnicos, diretores de fotografia e inúmeros figurantes, nem todos letrados e, muitas vezes, a céu aberto, recorreu a pinturas de quadros imensos para que todos pudessem ver nos sets.Ele ressaltou: “Curiosamente, hoje estou expondo meus “quadros” (storyboard) num Museu e as pessoas parecem estar gostando! Tenho o storyboard do filme, que comprei nesse evento até hoje e era um dos livros que usava para aulas de Design Gráfico quando lecionava. Para mim, não é à toa que Akira Kurosawa é chamado de “Kurosawa SAN”, já que, para mim, é, ao lado de Chaplin, o MESTRE dos MESTRES do Cinema!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *