Queda Livre
corpo

Queda Livre

Queda Livre

texto de Isadora Lobo
 
Conforme em queda livre é que percebo, não sem pingos de alívio salgados a desaguar na boca: aqui não há perigo. Conforme suavizo os joelhos e respiro é que vejo: do chão não passa. É preciso dar vazão à raiva, para que ela não nos consuma num caminho sem volta. Não há risco em cair, há prazer. Um tesão a envolver o mundo em queda livre. Solto os meus nós e respiro: habito o além-pânico. E frente a frente com os abutres, sinto seu hálito, sua fome de dilacerar o que é desaprovado por suas mentes julgadoras, mas não me movo. Ocupo meu espaço no mundo. Aquele que tenho por direito, esse não vão me tirar. Continue reading »

poesia

O Mercador das Almas – poema de Matheus Ramos Mendes

O Mercador das Almas

poema de Matheus Ramos Mendes

Moro em um país pobre e, contudo,
não sou eu o pobre deste país.
Habito a periferia do vasto mundo,
mas não estou na periferia da periferia.
Estou à deriva por alguma margem perdida,
mas não sou eu o marginal do rumo.

Há multidões mais flageladas desta terra.
Filhos incautos da desesperança.
Inocentes culpados de sua inocência Continue reading »