#16 Edição / poesia

o iniciado II

quem te dá nome
te fere te fura
nem fome oferece
nem some figura
que mundo ignora
não cora não cura
madeira que seca
num fundo ternura
te cheira e consome
te peca insegura
quem te dá nome
te come a usura
te cheira te morde
te atira te atura
acorde na beira
ou colosso na jura
no osso que expira
no sangue estrutura
quem te dá nome
te arranca candura
no mangue poeira
na pedra costura
no fio da terra
no prédio textura
quem te dá nome
qual cio inaugura

Irene Baltazar, março 2015

 

…………………….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *